DESTRUINDO AS FORTALEZAS DO INIMIGO | World Challenge

DESTRUINDO AS FORTALEZAS DO INIMIGO

David Wilkerson (1931-2011)April 16, 2018

A maravilhosa promessa de Deus para você na sua provação

Em Miquéias 7, o profeta entrega uma mensagem profética a Israel – uma que se aplica a crentes espiritualmente famintos em todo o mundo hoje. Miquéias começou sua profecia com um clamor de coração partido: “Ai de mim!... não há cacho para comer” (Miquéias 7:1).

Miquéias estava descrevendo o efeito de uma fome em Israel – uma fome de comida e da Palavra de Deus. Sua mensagem ecoa as palavras de uma profecia anterior de Amós: “'Eis que estão chegando os dias', diz o Senhor Deus, 'enviarei uma fome sobre a terra, não uma fome de pão, nem uma sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. Eles vagarão de mar a mar e do norte ao oriente; eles correrão para lá e para cá, buscando a Palavra do Senhor, mas não a acharão’” (Amós 8:11-12).

Miquéias também fala por um povo faminto hoje: a igreja de Jesus Cristo. Em seu olho profético, Miquéias previu multidões hoje correndo de um lugar para outro, procurando ouvir uma palavra verdadeira de Deus. Ele imaginou os crentes correndo de igreja em igreja, todos buscando satisfazer a fome de comida para nutrir suas almas. E o clamor ainda está sendo ouvido: “Ai de mim, porque não há cacho!”.

Meu coração se compadece de cada pessoa que foi capturada por um evangelho contemporâneo sem sangue e impotente.

Eles nunca foram confrontados sobre seus pecados ou ouviram a palavra convincente da verdade que produziria o caráter de Cristo neles. Eles não receberam nada para construir sua casa espiritual, exceto madeira, feno e restolho. E quando eles são chamados para ficar diante de Jesus, tudo em que eles construíram seu alicerce queimarão.

A fome espiritual de Israel não poderia ter acontecido em um momento pior: no auge da decadência moral da nação. O tempo estava maduro para um testemunho justo e uma repreensão amorosa aos líderes da nação por seus pecados. No entanto, no exato momento em que isso deveria ter acontecido, a igreja estava se tornando mais mundana: “O homem fiel pereceu da terra, e não há um justo entre os homens. Todos eles estão à espera de sangue; todo homem caça seu irmão com uma rede” (Miquéias 7:2).

A mensagem de Miquéias reflete as manchetes de hoje. As pessoas não confiam mais em seus líderes, seu governo, seu sistema judicial. Eles não confiam em seus empregadores, colegas de trabalho, amigos ou religião. Há uma quebra de confiança em todos os níveis da sociedade. Como resultado, todo mundo olha para si mesmo. Não ouvimos mais: “O que posso fazer para ajudar? Como posso contribuir?”. Em vez disso, o choro é: “O que há para mim?”.

No entanto, Miquéias desviou o olhar de toda a decadência e ganância na sociedade, todos os retrocessos e compromissos na igreja: “Portanto, olharei para o Senhor; Eu esperarei pelo Deus da minha salvação; meu Deus me ouvirá” (Miquéias 7:7). Ele disse a Israel, em essência: “Sim, a depravação está assolando a alma de nossa nação, causando ruína e decadência. Mas, enfim, nosso foco não está na péssima condição da sociedade. Um verdadeiro vigia não apenas avisa da espada; ele também proclama as promessas de Deus. No meio do caos, ele quer que seu remanescente santo conheça seu coração para com eles”.

O mesmo é verdade hoje. O Senhor tem um remanescente cujos olhos não estão voltados para a ruína da sociedade ou da igreja. Em vez disso, eles estão preocupados com o verdadeiro foco dos porta-vozes de Deus, ecoando as exortações dos profetas: “Volte os olhos para o Senhor, busque seu rosto, espere nele. Ele vai te sustentar e atender todas as suas necessidades”.

As promessas que Miquéias começa a revelar neste momento parecem incríveis demais para ser verdade. No entanto, todos são destinados à igreja de Cristo nestes tempos atuais. Miquéias 7:14 diz: “Pastoreie o Seu povo com o seu cajado, o rebanho da Tua herança, que habita a sós na floresta”. O pastor que está sendo abordado aqui só pode ser Cristo: “Agora o Deus de paz que trouxe o nosso Senhor Jesus dentre os mortos, aquele grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da aliança eterna” (Hebreus 13:20). Miquéias está profetizando que Jesus viria a terra para pastorear e alimentar o rebanho. Para aqueles que se voltam para ele com fé e confiança, nunca haverá fome.

O que isso nos diz sobre a fome atual? Diz que nem sempre podemos culpar nossa falta de pão apenas em igrejas mortas ou pastores despreocupados. Se nos voltarmos para Jesus, ele promete nos alimentar. Esta garantia é boa até mesmo para aqueles que vivem em lugares solitários, onde pode não haver igreja: “aqueles que habitam solitariamente em uma floresta” (Miquéias 7:14).

Miquéias 7:15 contém uma das promessas de Deus mais gloriosas ao seu povo.

“Como nos dias em que saíste da terra do Egito, eu lhes mostrarei maravilhas” (Miquéias 7:15). Isso se refere ao milagre que Deus realizou para Israel no Mar Vermelho. Com tantas palavras, Deus está nos dizendo: “Por anos vocês ouviram sermões sobre o grande milagre que realizei para o meu povo. No entanto, por mais maravilhosa que essa libertação foi, ela foi apenas um tipo, uma sombra. Eu quero fazer a você uma coisa totalmente nova”.

Neste momento, você pode estar em um deserto espiritual, enfrentando os poderes de Satanás. Você pode sentir seu exército de entidades demoníacas caindo sobre você. E assim como os israelitas estavam indefesos contra seu inimigo, você está indefeso contra o seu. No entanto, tão certo quanto Deus abriu o Mar Vermelho, permitindo que Israel andasse em solo seco, ele abrirá seu mar sobrenaturalmente. Você irá atravessar quaisquer laços o inimigo colocou em você, toda a sua oposição espiritual. E você não terá mais motivos para temê-lo.

Miquéias profetizou: “As nações verão e se envergonharão de todo o seu poder; eles colocarão a mão sobre a boca; os seus ouvidos ficarão surdos” (Miquéias 7:16). Miquéias está nos dizendo: “Sua libertação do Mar Vermelho irá silenciar as mentiras de Satanás. Ele terá que "cobrir a boca" em temor quando o Espírito de Deus se mover em você”. Você não acreditará mais nas acusações do inimigo contra você. Em vez disso, seus poderes demoníacos acabarão ficando totalmente confusos.

Muitos cristãos citam 2 Coríntios 10: 3-4: “Embora andemos na carne, não guerreamos segundo a carne. Pois as armas de nossa guerra não são carnais, mas poderosas em Deus, para derrubar fortalezas”. A maioria de nós pensa em tais fortalezas como servidão, como: transgressões sexuais, vícios de drogas, alcoolismo, pecados externos que colocamos no topo da lista dos “piores pecados”. Mas Paulo está se referindo a algo muito pior do que os nossos pecados humanos mensuráveis.

Uma fortaleza é uma acusação firmemente plantada em sua mente. E Satanás estabelece fortalezas no povo de Deus implantando mentiras em suas mentes – falsidades e conceitos errôneos sobre a natureza de Deus. Ele pode plantar a mentira de que você não é espiritual, sussurrando repetidamente: “Você nunca estará livre do seu pecado constante. Você é falso, porque sua mente ainda está cheia de pensamentos ruins. Você não mudou. Agora Deus perdeu a paciência com você. Você não é digno de receber mais da graça dele”. Ou ele pode tentar destruir seu casamento dizendo: “Você não pode mais suportar esse relacionamento a menos que seu cônjuge mude”.

Se você continuar ouvindo suas mentiras, depois de um tempo você começará a acreditar nelas. Uma vez que você se apossa de seu argumento maligno, ele ficará embutido em sua mente e coração – e então se tornará uma fortaleza. Isso permite que Satanás tenha poder sobre você através da sua vida de pensamentos. Ele não tem que possuir seu corpo; tudo o que ele precisa é uma base de operação em sua mente, para injetar mentiras que constantemente distorcem e transformam seus pensamentos em tormento.

Não podemos derrubar essas fortalezas somente pela oração. A única arma que assusta Satanás e suas hordas é a mesma que o assustou nas tentações de Jesus no deserto: a Palavra viva de Deus. Somente a verdade do Senhor pode nos libertar. Ele promete ser Deus para nós; nos purificar, nos perdoar e rejeitar todos os nossos pecados; para nos encher com o seu Espírito; para nos liderar, instruir e guiar através do seu Espírito; e colocar dentro de nós todo o poder que precisamos para andar em santidade e obediência.

De acordo com Miquéias, aqui está a promessa que devemos nos apegar: “Quem é um Deus como Tu, que perdoas a iniquidade e passa pela transgressão do remanescente de tua herança? Ele não retém a Sua ira para sempre, porque Ele se deleita em misericórdia. Ele voltará a ter compaixão de nós e subjugará nossas iniquidades. Tu lançarás todos os nossos pecados nas profundezas do mar” (Miquéias 7:18-19).

Nós não subjugamos nossos pecados; Deus os subjuga.

E ele tem compaixão de nós, pisoteando todas as nossas iniquidades, lançando-as ao mar, para nunca mais ser usado contra nós. Imagine os filhos de Israel observando todos aqueles soldados egípcios desaparecerem na água para sempre. Agora o Senhor está nos dizendo: “Esses são seus pecados, e você os verá afundar no fundo do mar. Eu os tenho lavado para sempre”. Se você se apegar a essas promessas, Deus promete que seu inimigo será disperso diante de seus olhos.

“Eles lamberão o pó como uma serpente; eles rastejarão de seus buracos como cobras da terra. Terão medo do Senhor nosso Deus e temerão por causa de Ti” (Miquéias 7:17). As “cobras da terra” aqui significam, figurativamente, “medos serpentinos rastejantes”. Elas se referem aos medos plantados de Satanás, acusações embutidas na mente. Deus diz que eles vão rastejar para fora de seus buracos em tremor de medo.

O que isto significa? Simplificando, quando você permanece em Suas promessas, todo poder demoníaco se desviará de sua fortaleza com medo do Deus todo-poderoso. Além disso, o diabo e seu exército “terão medo do Senhor nosso Deus e temerão por causa deTi”. Você não terá mais medo do diabo; ele vai ter medo de você! Ele teme todo crente que anda nas promessas do todo-poderoso Libertador.

Deus é fiel em cumprir sua promessa de fazer com que todos os inimigos fujam de nós. Neste momento, suas tentações, hábitos e pecados costumeiros podem parecer bloqueios impossíveis antes de você. Mas o Senhor promete libertá-lo, pelo amor de seu próprio nome. Ele é fiel em guardar sua Palavra.

Faça esta sua oração: “Deus, Tu prometeste por juramento ser o meu Senhor. Tu disse que me daria minha própria experiência do Mar Vermelho. Tu também disse que o diabo teria que colocar a mão sobre a boca, não sendo mais capaz de me acusar com suas mentiras. Eu permaneço nas suas promessas agora, Pai. Livra-me e glorifica o teu nome na minha vida”. Amém!

Download PDF